Brasileirão’12: Empate heroico com um a menos

Com um a menos, o Grêmio segura o Palmeiras; Zé Roberto foi um dos melhores em campo – Foto: Edson Lopes Jr./Terra

Apesar de ser um dos maiores clássicos do futebol nacional, o Grêmio entrou no Estádio do Pacaembu com totais condições de adquirir os três pontos diante de um Palmeiras ameaçado pelo rebaixamento. Diferente dos dois duelos na Copa do Brasil, o time de Luxemburgo estava mais encorpado, tinha Zé Roberto e a confiança necessária para buscar um resultado positivo fora de casa. Todavia, se considerarmos que o Tricolor contou com um jogador a menos a partir dos 17 minutos do primeiro tempo, após expulsão de Kleber, o placar de 0x0 foi ótimo, somado ao tropeço do Fluminense diante do Figueirense no Orlando Scarpelli por 2×2.

A partida começou com o Palmeiras tomando iniciativa do ataque, muito em decorrência de toda pressão que ocorria com a péssima campanha do clube alviverde. Com 12 derrotas, a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari tem a maior quantidade de revés se comparado ao lanterna Figueirense. Por sua vez, o Grêmio se comportava bem diante do ímpeto palmeirense e dava sinais de que a proposta de jogo seria tocar a bola e  apostar na velocidade e qualidade de seus atacantes. Contudo, o árbitro pernambucano Sandro Meira Ricci estava decidido a controlar o jogo por meio de cartões amarelos (foram 13 ao longo dos 90 minutos). E Kleber recebeu a primeira advertência por reclamação. Lance questionável, talvez um exagero, mas não muda o fato de ter acontecido.

O primeiro cartão amarelo de Kleber foi injusto, mas faltou prudência ao atacante gremista quando levou o segundo, resultando em precoce expulsão – Foto: Tom Dib/Lancepress

Diante disso, caberia a Kleber tomar mais cuidado com outra infração, mas faltou inteligência ao atacante gremistas logo a seguir. Pouco depois, o Gladiador foi em uma dividida com Henrique, com cotovelo erguido e atinge o palmeirense. Típico lance de cartão, algo rotineiro em diversos jogos (nesta rodada mesmo, Héber Roberto Lopes expulsou Valdomiro, da Portuguesa, em partida contra o Vasco, por situação similar). Se o primeiro cartão foi injusto, não importa. O fato é que o atleta deveria tomar cuidado para não levar outra advertência e cometeu um erro. Equívoco reconhecido pelo próprio jogador após o jogo, com pedido de desculpas à torcida.

Sem um jogador, Luxemburgo teve de abdicar do ataque e fazer o time atuar de forma completamente na defensiva. Marcelo Moreno passou a jogar isolado, tendo problemas principalmente com o zagueiro Márcio Azevedo, sempre veloz na recuperação da bola. O resto do time passou a jogar com o objetivo de anular os ataques do Palmeiras. Exceto por poucos lances, a equipe paulista de fato pouco ameaçou Marcelo Grohe na etapa inicial, devido à sua deficiência ofensiva, embora tivesse 60% da posse de bola. Apesar da desvantagem numérica, o Grêmio teve grande chance de balançar as redes no primeiro tempo. Zé Roberto recebeu grande passe, driblou o goleiro Bruno, porém, ao chutar a gol, a bola bateu acidentalmente no braço, colado ao corpo, de Maurício Ramos. Não interpretei o lance como pênalti, embora houvesse protestos de jogadores e da torcida.

Luxemburgo recua o time, obtém um bom resultado e agora pensa no Atlético Goianiense no Olímpico – Foto: Edson Lopes Jr./Terra

O Grêmio teve outra chance de abrir o placar aos 11 minutos do segundo tempo, em grande jogada de Zé Roberto para Moreno, que chutou em cima da zaga. Aos 21, Luxemburgo decide recuar ainda mais o time, ao tirar o exausto atacante boliviano para entrada de Léo Gago e ao sacar o também cansado Marco Antonio para inserção de Marquinhos. Ambas as alterações tinham como finalidade de congestionar o meio-campo e dificultar ainda mais o ataque do Palmeiras. As mexidas do técnico gremista deram certo, muito embora Grohe seja responsável por grandes defesas quando exigido e a trave tenha sua cota de colaboração  em chute de Barcos aos 40 minutos.

O time de Luxemburgo teve atuação exemplar diante das adversidades, controlando bem a partida por meio de padrão tático e empenho. Não vi nenhum jogador com destaque negativo, exceto Kleber pelas observações acima. Logo, tratou-se de uma atuação de quem deseja ser campeão. Com empate, o Grêmio se mantém na terceira colocação com 41 pontos, ainda a três do Fluminense, mas o Vasco (38) se aproximou ao vencer a Portuguesa por 2×0. Agora é torcer por uma vitória do Corinthians, também no Pacaembu, para segurar o Atlético Mineiro (41) neste domingo (02).

Anúncios

Um comentário em “Brasileirão’12: Empate heroico com um a menos

  1. Anderson disse:

    Correto, agora é ganhar do Atlético-GO e torcer por tropeços do Atlético-MG e Fluminense. Vamos Grêmio!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s