Beto da Silva é uma aposta certa do Grêmio

img_3975_l

O peruano Beto da Silva assina contrato de quatro anos com o Tricolor. Foto: Cristiano Oliveski/Grêmio FBPA

Não dá para afirmar com precisão se o atacante Beto da Silva dará certo no Grêmio, mas diferentemente de Jael, 28 anos, o peruano, 20, tem alto potencial de crescimento e pode ser lapidado para se tornar um grande atleta. Foi um achado do Departamento de Futebol, que trouxe um jogador jovem, muito provavelmente promissor e sob baixo custo aos cofres do clube. A contratação foi uma resposta a quem reclamava da falta de criatividade da direção na formação do elenco.

Beto da Silva já vestiu a camisa do Peru nos Sul-Americanos Sub-15, Sub-17 e Sub-20, da Copa América Centenário e pelas Eliminatórias para Copa do Mundo de 2018. Ele foi muito jovem ao PSV Eindhoven (Holanda) e jogou a temporada 2015/2016 no time B do clube holandês. Antes, o “delantero” foi campeão peruano pelo Sporting Cristal em 2014. Talvez tenha faltado paciência ao PSV em lapidá-lo, missão que agora cabe ao Grêmio por meio de contrato de quatro anos.

O peruano, que atua como segundo atacante, tem até aqui 40 jogos como profissional com nove gols feitos, assim lhe conferindo um aproveitamento de 0,23 gol por jogo. O índice é um melhor que Everton (0,16 G/J) e pouco abaixo de Luan (0,24 G/J) e Pedro Rocha (0,26 G/J). Nesse quesito, Miller Bolaños (0,32 G/J) e Jael (0,34 G/J) são os jogadores com os melhores aproveitamentos, embora esse não seja um critério absoluto, pois varia conforme o nível técnico das competições de cada atleta.

Apenas fico desconfiado como o técnico Renato Portaluppi pretende trabalhar o Beto da Silva. Isso porque na coletiva, o treinador fez questão de frisar que o peruano não foi indicado por ele, a exemplo das contratações anteriores, e sim veio diretamente da direção. Achei essa observação um tanto desnecessária e senti um tom do tipo “ele não é dos meus”. É uma análise apenas interpretativa, porém, Renato tem o costume de privilegiar “seus bruxos”.